sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Alter Ego II (livre associação de rimas)


O cerrado
é meu legado
assim como a secura
o frio é passageiro
como a certa volta a cidade
de moderna arquitetura
e pouca idade.
O mundo é desbravado
mas eu quero por inteiro
Neo-Hippie-Punk-Nomade-Cigano
Fotografar momentos
andar sem plano nem pano
sem lenço e sem documento
sagaz como Caetano
despretensioso como Gil
com a poesia sutil
de Chico e Noel
Cartola é o auge...é o Céu
Paulo Leminski, Bigode, o poeta.
toda a trupe da poesia concreta
a rima de Baudelaire
a modernidade , o spleen
a loucura de Tim Maia Tim
Sou só mais um flaneur
entorpecido por vícios
e pela RimAmor de Vinicius
Tudo (que)ria, (que)ro, que sou.
um pouco de tudo e bastante flow

6 comentários:

P. Matheus disse...

foto: Andreia Dutra

ηatalie αfonseca disse...

"Tudo (que)ria, (que)ro, que sou.
um pouco de tudo e bastante flow"

...

Adorei! :)
Foto legal ;)

Vick disse...

Muito bom, Paulo Matheus José João

Davi disse...

Ótima poesia. Bastante musical (seja na métrica, seja nas pessoas citadas). Abraço. ^^

Daniel Legal disse...

Belas palavras, belos artistas...
Bom fds.

Cynthia Lopes disse...

Matheus, gostei do perfil.
Escuta vc conhece a poesia de Múcio Góes? Com certeza vc vai se identificar, ele é um grande poeta:
http://traversuras.blogspot.com/, vale conferir.
bjs