sábado, 29 de novembro de 2008

Cala Boca!




Silêncio!
Silêncio
Silênci
Silên
Silê
Sil
Si
S
SHHHH!

10 comentários:

Patrícia Del Rey disse...

O silêncio da tua poesia concreta me lembrou o excesso de palavras da minha poesia dissolvida:

Da tua boca... Silêncio.

Eu esperei da sua boca
um som solto.
Talvez um sopro.
Ou uma silaba qualquer.

Silêncio

Esperei um sinal.
Quem sabe até linguagem corporal
Na minha esperança de mulher.

Silêncio

De ouvidos em pé, esperei sentada:
Corda, vozes e violão.
Perdendo o tom, quis ouvir ser amada.
Aguardando a mesma velha canção.

Silêncio

Desejei a sua língua,
Seus movimentos soltos.
E de tanta demora:
Eu quis te cortar o pescoço!

Silêncio

O meu tímpano não está furado,
A sua boca não está em greve.
Por que você demora tanto
Pra dizer o que me serve?

Silêncio

Eu sigo meu curso,
Não dá mais pra te esperar.
As palavras já estão mudas
O que mais eu vou querer escutar?!

M. [doc] B. disse...

Leitura em voz alta se faz sentir o silêncio! Maravilhoso!

Juliana M. disse...

Gostei! Ler em voz alta é ainda melhor!

E as férias, hein? (:

San disse...

Tempo perdido
Amor contido
Sem sentido
Sem tido
Sem ido
Sem dó
Sem
Se
.

Tata disse...

Um silêncio gritante!

Natália Nunes disse...

adorei a imagem da marilyn, sempre um ícone imagético, no mínimo.


sabe q tem sentido a recrudescência do silêncio até o "shhh"? gostei!

ηatalie αfonseca disse...

Oi oi!
Obrigada por teres caído na minha teia! |:P

Gostei muito deste teu cantinho...Poesia e Boémia! Humm...algo que me diz muito! :)

[ rod ] disse...

O silêncio e suas vertentes... sabedoria para poucos.

Vim te conhecer meu caro.

Abçs,





Novo Dogma:
saCro...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

Leila Saads disse...

O poema é a mensagem - e a imagem!


Ótima imagem Paulo!


:*

~pi disse...

belo o que

esc-

-reves!!





~