sábado, 29 de março de 2008

Vícios





*****Algumas décadas atrás, quando Brasília fora construída, o cigarro tinha um glamour e uma aceitação, que quando contada a nós, jovens dos dias atuais, mostra-se inacreditável. Já ouvi dos mais experientes, historias que nos dias de hoje parecem mais estórias, sobre essa aceitação exacerbada. Conversas que narravam professores fumando enquanto leccionavam e alunos recebendo essa informação com os seus esfumaçantes cigarros acesos. Algo inaceitável e inimaginável nos dias de hoje.
*****Hoje enquanto participo de um simpósio, para ser mais preciso simpósio brasileiro-alemão de pesquisa, na Unb, especificamente na Faculdade de Educação, no Auditório dois candangos, que fora projetado pelo arquiteto/artista/designer Sergio Rodrigues a pedido de Darcy Ribeiro. Percebo ao analisar as poltronas, poltronas essas que são obra marcante de Sergio Rodrigues. Esse artista tem poltronas vendidas em leilões de arte a quantias inacreditáveis e altíssimas, sua "confortabilíssima" poltrona mole é unanimidade no mercado de arte. Fato é, percebi ao sentar nas confortabilíssimas poltronas, que cada poltrona dessa conta com nada mais nada menos que dois cinzeiros, para cada ouvinte.
*****Imaginei então o quão desagradável devia ser assistir à um evento desses nos tempos recentes do passado. Um ambiente estritamente acadêmico, assemelhava-se como qualquer outro ambiente fechado do mundo, a uma esfumaçada zona boêmia, uma casa de show ou até um cabaré.
*****Interessante é perceber que mesmo nações como a França que até nos dias de hoje tem uma aceitação muito grande com a “fumaça”, acabara de aprovar a lei que proíbe o cigarro em ambientes fechados. Lei esta que também é lei nacional. No entanto é respeitada apenas em algumas cidades brasileiras. Brasília talvez por ser a capital e como conseqüência onde as leis são politicamente tecidas, respeita-se quase que cartesianamente esta lei. Contrariamente em importantes cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, a lei é vista por muitos, como motivo de chacota. A inovadora Holanda, tomou uma medida no mínimo curiosa, o tabaco foi proibido nos "Cofee Shop`s" (ambientes específicos para o venda e consumo legal da maconha).

*****Voltando aos franceses, muitos dos seus fumantes indagaram: O que seria dos ambientes boêmios fechados sem sua áurea esfumaçada? Diferentemente e semelhantemente ao nosso país, a fumaça do tabaco fora proibida no último país que imaginava-se. A cidade luz Paris, onde a fumaça já foi tão glamourizada, agora cércea o direito de seus fumantes. Não me entenda mal, nem imagine-me como um ativista na luta contra o tabaco, mas o mundo como um todo acabou por perceber empiricamente os males do tabaco tentando então combatê-lo.
*****O livre arbítrio é importantíssimo, e agradeço mudando completamente o título daquele interessantíssimo filme Hollywodiano “Obrigado por “não” fumar ; ao menos em lugares fechados”. Logo se forem fumar em algum ambiente aberto, como um bar, não esqueçam por favor de chamar-me para que possamos ter uma divertida resenha enquanto celebro os meus tão quão prazerosos e maléficos vícios.
****************


6 comentários:

Fernanda disse...

Fiquei encantada com suas poesias... ; )
Ainda estou tentando descobrir se viver é melhor do que sentir. Viver é tão real e sentir é tão profundo que eu realmente não sei o que prefiro.
Lembra de mim? Sou a amiga da Leila que você conheceu sexta na Funarte!
; *****

Lúcia disse...

Vícios... está aí uma palavrinha que me atormentou bastante durante a semana... não que não atormente sempre, mas às vezes nos deixamos levar mais facilmente.
E como quero a disciplina... acho que eu seria tão mais livre...


Beijos e boa semana!

Celine disse...

vÁRIOS

Perdição disse...

Quadro do Surrealista/dadaista René Magritte : Ceci n’est pas une pipe

Fotos finais da cultuada atriz Audrey Hepburn com sua inseparavel cigarrilha!

Gabriel disse...

Demaiss Matias...
Muito doido...
AH e não esqueça de me chamar para que possamos ter uma divertida resenha enquanto celebro os meus tão quão prazerosos e maléficos vícios.

Abraço Gabizão

Patrícia Del Rey disse...

vício (do Lat. vitiu ): hábito de proceder mal;costume censurável ou condenável;costumeira;hábito prejudicial;libertinagem;defeito;
ação indecorosa que se pratica por hábito;viciação;erro;dolo.

O que a vida sem um vício?
Um víciozinho, pequeno, gostoso...
Desses que dá pra levar no bolso ou na cabeça, sabe? Um vício intímo.
Necessário.Companheiro. Um ponto de fuga ou um ponto de começo.
Imagina o Fidel sem o seu charuto? Marley sem o seu beck? Vínicius sem seu copo de uísque? o Tom Zé sem a maluquice?
Eles não tiram só a nossa vida,mal tratam o pulmão ou aumentam o peso da balança. Não. Os vícios decoram a vida. Pode ser com Fumaça. Amor. Cachaça. Neuras ou afins...
Não importa. Escolha o seu na vitrine e seja feliz!