quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Amorderno




Eu não sou o amor da sua vida
Você não é o amor da minha vida
Não existe amor da vida

No máximo amor da morte
Pois amor é um sentimento forte
Que navega no traiçoeiro mar da sorte

A modernidade trouxe essa liquidez
No seco ar da moderna cidade tudo se desfez
O seu egoísmo falou mais alto outra vez

O meu erro talvez seja a sinceridade
Viver o que sinto viver a verdade.
Nada é tão fácil nessa moderna realidade

O tempo cura, o tempo destrói
O tempo adoece , o tempo constrói
Com o tempo, agora, já não mais me dói.

Eu não preciso de você, você não precisa de mim
Hoje, já estou rindo disso tudo, enfim.
Pois o seu egoísmo continuou, sim.

Lembro do que foi bom... Tento esquecer o ruim.
Seguindo meu destino, no inevitável fim!

9 comentários:

R Lima disse...

O Amor é isso aí.. de infinidades dispares.

Hoje é o grande e maior de sua vida.. amanhã pode ser a total destruição.

Quem o conhece?

Abçs,





Texto de hoje: AmiZadE...

Visite e Comente... http://oavessodavida.blogspot.com/

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Anônimo disse...

a verdade é que devemos ser auto suficientes sempre! você não precisa de ninguém pra seguir o seu destino.. lógico ao logo da vida sempre vamos sofrer de amor, e a cada pessoa q passar por nossa vida, seremos mais fortes e racionais. adorei seu texto. bjos

Perdição disse...

imagem: Instalação de Anish Kapoor

aLê :) disse...

ps: o q foi essa inspiração, aconteceu alguma coisa??

Iaiá disse...

Não gosto de tanta sinceridade. Prefiro mais romantismo. Mas isso é gosto. :)

As rimas são boas! :)

beijos

M. [doc] B. disse...

E o amor é tão igual. Não importa o local ou a classe social. Ele nos transforma....

Que beleza!

Bina Goldrajch disse...

I liked it!

Natália Nunes disse...

Um amor de agora me basta totalmente.

Si disse...

Engraçado... Pensei no amor dessa forma na noite passada.
Onde foi parar meu romantismo? hehehe