quinta-feira, 9 de agosto de 2007

Brasília, modernidade horizontal, horizontalidade moderna!





Horizontal e moderno, uma criação.
Em Brasília, eu vou reto sem perdão!
Complexidade moderna a meu ver!
Mal interpretada quando associada ao poder.

Pra compensar a falta do mar.
A boêmia transparece na mesa do bar.
Os políticos aqui causam um estrago.
E os candangos assistem um belo por do sol no Lago.

Arte pela cidade, bem arquitetada.
A verticalidade aqui fora desprezada.
Olhe o horizonte da cidade horizontal.
O cerrado nos mostra um por do sol sem igual.

Tem que ser adaptado porque a umidade é rara.
Calango do cerrado, camelo do Saara.
Malevich e Baudelaire, precursores da modernidade.
Tão modernos e surpreendentes quanto a nossa cidade.

Na catedral Di Cavalcanti e Ceschiati, mostram sua arte.
Na esplanada ou em baixo dos blocos. Arte por toda parte.
No poço azul ou na ermida use a imaginação.
No parque esporte é vida, arte de Burle Marx e Athos Bulcão.

Lago Paranoá, o sol deita-se nesta benção, neste espelho.
O crepúsculo solar, azul, amarelo, laranja, roxo, rosa e vermelho.
A horizontalidade permite-nos ver um céu nada monocromático.
No céu do poder, do lobby, do democrático e do burocrático.

Em Brasília não tem erro é só o destino seguir.
Que por certo algo ou alguém interresante está por vir.
Seguindo pela w3 pela l2 ou pelo eixinho ou pelo eixão.
O que te guia e teu coração, e ele te manda ir reto sem perdão!



12 comentários:

Alice. disse...

Nossa! o Paulo, vai ser escroto assim na putaquepariu!

Eu nem estou inspirada para comentar um poema tão lindo e tão perto da minha realidade. Acho que os melhores poemas são os que a gente se reconhece. Uma vez li Quintana que dizia que "Ser poeta não é dizer grandes coisas, mas ter uma voz reconhecível dentre todas as outras."

Não sei nem o que dizer, mas fica aqui a minha admiração por alguém que me consegue me encantar todos os dias.

R Lima disse...

Qm dera q Brasilia fosse só assim linda... qm dera se de lá pudessemos tirar o atraso deste país.. a corrupção federal.



[ http://oavessodavida.blogspot.com/ ]

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Renata disse...

eu não sei...rimas realmente me incomodam um pouco. Deixa tudo sempre com um ar tão... enfim

Brasília, a terra seca que faz os narizes sangrarem ;D

Bassáltamo disse...

por essa retas, por essas ruas oleosas, pelo marfim branco que queima no sol incessante, pelas tesourinhas mal-feitas. Vamos sair do avião e pular do céu. Calangueira do cerrado, contra tudo e todos!

Bassáltamo disse...

Angulosa Tombadíssima, frase de Adrianinho.

Bina Goldrajch disse...

Show!
Gosta tanto do distrito que o mesmo até merece um poema? rs...
Lindo texto. Só demonstra tua vasta cultura.
Parabéns, querido.

Bréscia Magalhães disse...

sim...
e eu, mineira convicta, talvez por herança direta de JK, meio q a contra gosto, meio q por revés da vida, acabei me rendendo a tudo isso...
encantos e desencantos de uma cidade completamente à parte de todas as outras, por bem ou por mal... feliz ou infelizmente...

Luciana Donadéli disse...

nossa, tudo tao belo!
deu até vontade de conhecer brasilia..
^~


tens talento!

te cuida!

Milla Loureiro disse...

lembrei-me de vc no meu ultimo post!!

abraços

T. Parada disse...

http://tpontoparada.blogspot.com/

blá blá blá disse...

fotos lindas e texto à medida!

T. Parada disse...

Belo poema...
estava aqui lendo alguns outros e devo dizer que me surpreendeu
ta escrevendo bem hein fanfa !!
=))

espero ter bastante inspiracao pra fortalecer a comunidade
=D

abracosss