sexta-feira, 4 de maio de 2007

Jazz it up New Orleans


New Orleans
Putas, álcool, Haxixe e afins
A sonoridade é um Jazz sem fim
E os cabarés de portas abertas pra mim
Diferente cidade fantástica
De grande legado multicultural
Nem parece norte-americana na pratica
A influencia africana, francesa e espanhola é essencial.
Queria poder agora, lá retornar.
Pra quem sabe curtir um carnaval, Mardi Grass
Mas a água levou tudo, triste e natural.
Será que ainda existe o lugar onde Louis começou a tocar?
Preservation Jazz Hall “pequeno” grande lugar.
Com aquele som propagando-se no ar de forma sublime
Numa cidade estadunidense onde a boêmia e cultuada
Ao contrario do resto daquele território onde a mesma e enquadrada
Onde ela é enquadrada como um crime.
O jazz lá foi criado na forma de improviso
Sempre tão bem tocado, capaz de arrancar sorrisos.
Criado pelos NEGROS, ganhou fama mundial.
Dançante e vibrante, só sofria de um mal.
O racismo da sociedade do capital
E a natureza castigou os EUA, no pior local.
Um lugar de NEGROS, ex-escravos de alegria incomensurável.
Porque logo New Orleans é triste e lamentável.

5 comentários:

Bassáltamo disse...

uma pequena chama lá ainda cintila, mas por quanto tempo?

Gostei mto! continue postando.

Raquel disse...

super groovy! me fez lembrar do sonny rollins, que disse: "Jazz is the type of music that can absorb so many things and still be jazz." Viva o jazz! Vida longa ao jazz!

Fred disse...

enigmátivo , construtivo porém eterno viva a poesia

Bassáltamo disse...

Atualizei!

e de olhos fechado e batendo com as
mãos nas pernas; soltou um grito! Ohhhh!
and the saints go marchin'in!

Perdição disse...

Na foto Miles Davis e Johm Coltrane!!!