sexta-feira, 4 de julho de 2008

Graffiti d'Andrade




Brasília 209 norte.

Homenagem artistica na caixa da luz.

Ao artista, contista, cronista, poeta e imortal.


"Amar o perdido
deixa confundido
este coração.
........................
Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.
.......................
As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão
........................
Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão."
............................
Carlos Drummond de Andrade

8 comentários:

Polêmica disse...

olá,
eu estava aqui passeando pelo teu blog e resolvi deixar um comentário só para marcar presença mesmo!
beijão!

Patrícia Del Rey disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ricardo Jung disse...

ficarão, mas nunca existirão...

essa é a sensação

que eu tenho

por isso não...

...gosto do Drumão


eca!

http://artepoiesis.blogspot.com/

Patrícia Del Rey disse...

Concordo com poeta:
As coisas findas são eternas!

O fim é o começo da saudade,
a saudade é inicio da vontade,
a vontade é o despertar da ação.
E a ação é o princípio do fim.

besos

Nathália Drumond disse...

Sempre bom ver uma homenagem e ler um poema do Drummond!!!
Gosto muito do seu blog! Sempre passo por aqui...
Beijo!

Sopa das Letras disse...

Drummond é excelente, principalmente no quaundo se trata de posia. Seus textos são tão atuais quanto poderiam ter sido produzidos atualmente. A homenagem em graffiti foi mais que merecida!

Deguste essa idéia em: http://sopadasletras.blogspot.com

L. G. Alves disse...

conheço essa imagem..

Anônimo disse...

isso aí foi vc quem fez?